Notícias

Fiscais da Agência de Defesa Agropecuária apreendem 10 toneladas de pescado clandestino

07/08/2020 - Dinalva Martins/Governo do Tocantins

Fiscais da Agência de Defesa Agropecuária do Tocantins (Adapec) apreenderam 10 toneladas de pescado clandestino e acondicionado de maneira imprópria, na barreira fixa de Serra Geral, localizada no município de Ponte Alta do Bom Jesus. A origem da carga era Santarém, no Pará; com destino a Xique-Xique, na Bahia. O proprietário foi multado em R$ 4,5 mil, e os peixes apreendidos foram inutilizados no aterro sanitário de Dianópolis, nesta sexta-feira, 7.

De acordo com o inspetor de defesa agropecuária da Adapec, Ricardo Matarazzo, durante a fiscalização rotineira, constatou-se que se tratava de pescado eviscerado, juntamente com pescado não eviscerado, das espécies mapará e mandira. “Estavam acomodados a granel, espalhados no assoalho sujo e em contato direto com as paredes do baú, potencializando o risco à saúde pública. Já que o correto era estar dentro de caixas para evitar contaminação”, explicou.

Outro agravante é que não havia registro no Serviço de Inspeção Federal (SIF) ou no Sistema Brasileiro de Inspeção de Produtos de Origem Animal (Sisbi), necessários para trânsito interestadual. “O condutor foi orientando sobre a obrigatoriedade de inspeção oficial para comercialização desses produtos, além dos selos disponíveis e sua abrangência territorial”, afirmou Ricardo Matarazzo.

Quando não inspecionado, o pescado é altamente perecível e traz riscos à saúde, pois pode estar contaminado com metais pesados, agrotóxicos e outros contaminantes, principalmente, se forem oriundos de lagos e rios com alto índice de poluição ou com presença de garimpos e uso indiscriminado de agroquímicos.

A ação contou com o apoio da Polícia Militar de Dianópolis e do Instituto Natureza do Tocantins (Naturatins).

Alerta

O gerente de Inspeção da Adapec, Antônio Caminha, explica que anualmente uma, em cada 10 pessoas, adoece por doenças transmitidas por alimentos, segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS). Além disso, o gerente informa que, ao consumir um produto sem inspeção, o consumidor corre o risco de se contaminar com bactérias, principalmente por Salmonella, Escherichia coli e Staphylococcus, causadoras de diarreia, vômito e infecção que pode levar à morte.

 

Edição: Alba Cobo

Revisão Textual: Marynne Juliate

Compartilhe esta notícia