Notícias

Governo define implantação do primeiro centro de ensino indígena com tempo integral do Tocantins em Tocantínia

13/01/2020 - Cláudio Paixão/Governo do Tocantins

O Governo do Estado, por meio da equipe da Secretaria de Estado de Educação, Juventude e Esportes (Seduc) realizou nesse sábado, 11, consulta publica à comunidade escolar do Centro de Ensino Médio Indígena Xerente (Cemix), em Tocantínia, para implantação do Programa Escola Jovem em Ação no município e por consequência passará a ofertar o ensino médio em tempo integral.

Toda a comunidade presente na consulta pública aprovou a implantação do Programa Jovem em Ação, o que faz com que o Cemix seja a primeira unidade de ensino indígena do Tocantins a ofertar a modalidade de tempo integral. A implantação ocorrerá por etapa e contempla apenas o ensino médio, conforme explicou Maristélia Alves, coordenadora do Programa Escola Jovem em Ação.

“Iremos debater todos os pontos colocados pela comunidade escolar durante a consulta pública e ainda no início deste semestre começamos a implantação do programa. A implantação será feita inicialmente nas turmas de 1ª série do ensino médio, no ano que vem passa também para a 2ª série e, por fim, em 2022, todas as turmas de ensino médio do Cemix passam a integrar o Jovem em Ação, e funcionarão em tempo integral”, explicou à coordenadora.

A titular da Seduc, Adriana Aguiar, destacou que a implantação do Programa Jovem em Ação no Cemix é uma experiência inovadora que servirá de referência para outras unidades de ensino. “Já temos um formato totalmente consolidado nas unidades de ensino urbanas e, agora, junto com a comunidade local, vamos construir  um modelo para as escolas indígenas que possam servir de referência, considerando a realidade local, seus aspectos culturais, de modo que o estudante, no final do ensino médio, possa sair protagonista da sua história”, ressaltou.

Comunidade

O diretor da unidade de ensino, Nilson Wazase Xerente, destacou que o ensino em tempo integral é uma importante conquista para a comunidade escolar. “Sentimos honrados com essa proposta. É um projeto que traz importantes melhorias para o ensino e que será mais um diferencial para a nossa escola. E por querer ver essas melhorias, o avanço no aprendizado dos nossos alunos, aprovamos a proposta de implantação”, destacou.

Para o secretário do Centro de Ensino Médio Indígena Xerente, Silvino Sirnãwẽ Xerente, a consulta à comunidade é um diferencial de todo o processo. “É muito importante essa consulta pública, pois a implantação do ensino médio em tempo integral nasce com o acolhimento da comunidade. Estamos tomando essa decisão com a Seduc. Como estamos aqui participando diretamente da vida da comunidade podemos colaborar com todo o processo”, ponderou.

Jovem em Ação

O programa Escola Jovem em Ação foi implantado no Tocantins em 2017 com a parceria do Governo Federal e foi adotado por 12 unidades escolares. Em 2019 são 23 escolas contempladas com o programa. O diferencial é que o jovem passa a ser protagonista e participa ativamente de todo o processo educacional, desde a elaboração, a execução, até a avaliação das ações realizadas na escola.

Com o programa, a unidade escolar passa a investir na formação de salas temáticas, na construção de laboratórios de ciências e na formação de professor. Em 2020, além do Centro de Ensino Médio Indígena Xerente, outras cinco unidades de ensino passarão a contar com as ações do Programa Escola Jovem em Ação.

 

Compartilhe esta notícia