Notícias

Metrologia Estadual dá dicas sobre uso adequado da panela de pressão

12/04/2019 - Cejane Borges/Governo do Tocantins

A panela de pressão é um objeto comum e está muito presente no cotidiano da sociedade, seja em residências, instituições públicas ou privadas, restaurantes, lanchonetes, entre outros. Sua principal função é o preparo de alimentos, por meio de elevada pressão interna.

Desde março de 2010, o Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro) passou a exigir a certificação, por parte do fabricante, das panelas de pressão, com a obrigatoriedade do Selo de Identificação da Conformidade, o que assegura que o produto foi fabricado observando os requisitos mínimos de segurança. Há quase dez anos, toda panela de pressão produzida e comercializada no país deve contar com o Selo Inmetro.

Com os objetivos de evitar acidentes e prestar informações de relevância, a Agência de Metrologia, Avaliação da Conformidade, Inovação e Tecnologia do Estado do Tocantins (AEM-TO), órgão delegado do Inmetro, orienta a população sobre cuidados básicos com a panela de pressão, que podem evitar perigos desnecessários e salvar vidas.

Os fabricantes têm investido em panelas cada vez mais seguras com alumínio reforçado, tampa externa, anel de silicone e válvulas para controlar a pressão e diminuir o perigo. Contudo, é essencial que o consumidor esteja atento na hora da compra. “O Selo Inmetro indica que a panela de pressão passou por testes laboratoriais e nos ensaios obteve adequado grau de confiabilidade, em conformidade com as normas técnicas brasileiras. Se uma panela de pressão não for produzida com requisitos mínimos de segurança, ela se transforma em um produto perigoso”, informa Rérison Antonio Castro Leite, presidente da Metrologia Estadual.

Ao adquirir o produto, é importante que o consumidor observe a presença do selo afixado na panela e exija a nota fiscal.

Ensaios laboratoriais e cuidados especiais com as válvulas

Cerca de 30 requisitos técnicos são observados nos ensaios laboratoriais com panelas de pressão. Testes de resistência dos cabos, testes hidrostáticos para medir a resistência da panela, testes de envelhecimento dos anéis de vedação, testes de abertura das válvulas, entre outros.

Um dos fatores de risco é o acúmulo de resíduos dentro da válvula, que acaba entupindo, o que impede a saída do ar, que garante pressão e segurança ao uso da panela.  “A válvula tem a validade de cinco anos e, após o período, é importante que o consumidor faça a substituição”, afirma o técnico Bruno Santana, da área de qualidade da AEM.

Manutenção e bom uso evitam acidentes

É importante que o usuário observe sempre o estado da borracha, do pino da pressão e da tampa da panela de pressão. Além disso, ao fazer a higiene do produto, observar se não há rachaduras na borracha, se está secando ou quebrando. Caso necessário, faça a substituição das partes que não estão oferecendo segurança ao uso. É válido destacar que o consumidor deve priorizar a escolha do produto com capacidade a atender a demanda: a panela de pressão cheia demais pode entupir a válvula de segurança, o que é muito perigoso.

Cuidados importantes sobre o uso da panela de pressão

-      Manter sempre limpa a válvula de segurança da panela – aquela que chia – e desobstruída;

-      Verificar se a válvula não está deformada, decorrente de algum impacto;

-      Substituir a válvula a cada cinco anos – somente em representantes autorizados;

-      Trocar o anel de borracha sempre que apresentar danos e sinais de envelhecimento;

-      Manter, durante o cozimento, o fundo da panela de forma plana;

-      Nunca abra a panela sem que todo ar tenha sido expelido. A válvula com pino foi desenvolvida para liberar o vapor, caso perceba que, no meio do cozimento de algo, a panela pare de funcionar, desligue o fogo imediatamente e com um auxílio de um garfo libere todo o ar levantando a válvula. Se o ar sair pelas bordas, a borracha precisa ser substituída.

Quando a panela pegar pressão e começar a soltar vapor, diminua a temperatura do fogo, se a água no interior já está fervendo a quantidade de fogo não vai interferir no cozimento.

Compartilhe esta notícia