Notícias

Janela de plantio da soja sequeiro fecha nesta terça-feira

15/01/2019 - Welcton de Oliveira/Governo do Tocantins

Termina nesta terça-feira, 15, o prazo da janela de plantio da soja sequeiro no Tocantins para a Safra 2018/2019, a mesma teve início no dia 1º de outubro. A Agência de Defesa Agropecuária (Adapec) estabeleceu a janela de plantio, como medida de controle da Ferrugem Asiática na cultura da oleaginosa. A partir de agora os produtores rurais que cultivam a soja tem mais cinco dias úteis para fazer o cadastramento obrigatório da área plantada.

Para realizar o cadastro, o sojicultor deve procurar o escritório da Adapec do município onde está a área plantada e preencher o formulário, ou se preferir, acessar o site http:/adapec.to.gov.br/vegetal/, preencher formulários com as informações e entregar na Agência. “O produtor deverá emitir o DARE [Documento de Arrecadação de Receitas Estaduais] no site [www.sefaz.to.gov.br], e efetuar o pagamento para finalizar o cadastro”, explicou o inspetor de Defesa Agropecuária, Cleovan Barbosa, acrescentando que até o momento já foram cadastrados no sistema online 159.490 hectares.

O presidente da Adapec, Alberto Mendes da Rocha, pontuou a importância de se fazer o cadastramento anual do plantio da soja. “Na ultima safra, a Adapec realizou o monitoramento de pragas em mais de 1.400 propriedades no Tocantins, com o propósito de mantermos o controle da Ferrugem Asiática e outras pragas que acomete a oleaginosa, mas é importante que os produtores realizem o cadastro das suas áreas plantadas”, ressaltou Alberto.

“Por meio de portaria, uma medida legislativa, a calendarização do plantio de soja atua no controle de pragas uma vez que contribui para o retardamento do aparecimento do fungo e evita o plantio sucessivo da cultura, diminuindo assim, o risco de resistência aos fungicidas disponíveis no mercado. Essa semana os trabalhos foram intensificados pelos nossos inspetores de campo em todo o Estado. Até o momento as pragas em geral estão sobre controle, sobretudo, aquelas de controle oficial, como a Ferrugem Asiática e o Amaranthus palmeri que continua ausente no Estado, graças ao trabalho preventivo de monitoramento de nossos técnicos”, pontuou o inspetor de Defesa Agropecuária, Marley Camilo. 

 

Compartilhe esta notícia