Notícias

Tocantins implanta programa para acabar com filas de cirurgias eletivas

05/04/2018 - Jesuino Santana Jr/Governo do Tocantins

Um total de 5.547 pessoas que aguardam por cirurgias eletivas no Tocantins serão beneficiadas com a medida provisória que será assinada pelo governador em exercício, Mauro Carlesse, nesta quinta-feira, 5, no Hospital Geral de Palmas (HGP), às 10h30. Na ocasião, o chefe do Executivo estadual também irá vistoriar as obras da Unidade de Cuidados Intermediários (UCI) a fim de acelerar a entrega.

O documento irá instituir, no Estado, o Programa de Aprimoramento da Gestão Hospitalar (Pagh), composto por ações estratégicas de permanentes mutirões de procedimentos cirúrgicos eletivos de procedimentos de baixa, média e alta complexidade, denominado Opera Tocantins.

“Encontramos o Tocantins com uma fila de cerca de 6 mil pessoas esperando por cirurgias eletivas. Algumas áreas específicas têm pessoas esperando por mais de seis meses ou até mais tempo. Em razão disso, vamos fazer uma força-tarefa de mobilização dos profissionais, das estruturas de gestão e estrutura dos hospitais para que a gente possa suprir essa necessidade e zerar essa fila. A nossa ideia é de que, nos próximos 45 dias, a gente consiga atender todas as pessoas que estão na espera. O Governo está sensível a isso e essas medidas são apenas um início de muitas outras notícias positivas que pretendemos anunciar para a área”, afirmou o governador em exercício, Mauro Carlesse.

As cirurgias eletivas serão realizadas nas 18 unidades hospitalares do Estado. De acordo com o programa, os procedimentos se concentrarão em dias específicos e executados fora dos horários rotineiros de trabalho e serão realizados aos sábados, domingos, feriados e dias de ponto facultativo. Durante a semana, ocorrerão em período noturno/madrugada, não podendo ser executado na jornada ordinária nem em jornada adicional de hora extra de trabalho.

“O Pagh-Cirúrgico considera como casos eletivos aqueles necessários para tratamento médico dos pacientes, que não se revestem das características de urgência ou emergência, ou seja, quando ele não está sob o risco de vida imediato ou sofrimento intenso, podendo ser efetuada em data definida, desde que esta data não comprometa a eficácia do tratamento”, explicou o secretário de Estado da Saúde, Renato Jayme.

Renato Jayme afirmou ainda que o programa faz parte de uma modernização na gestão da Saúde. “Nossa maior preocupação é reduzir as filas e levar para toda a população do Estado um atendimento rápido e eficaz naquilo que o cidadão anseia. Quem sofre com algum problema de saúde ou precisa realizar uma cirurgia não tem tempo para esperar”, concluiu.

Especialidades e Valores

A especialidade com maior demanda é a Geral, com 1.669 pessoas aguardando cirurgias. Ela vem seguida pela Ortopedia (1.035), Pediatria (984), Ginecologia (714), Cabeça e Pescoço (529), Urologia (438), Vascular (87), Mastologia (37), Otorrino (28), Plástica (24), Oncologia e Outros (2).

Das cirurgias, a maioria é de complexidade Média (5.506), seguida por Alta (473), Baixa (16) e não se aplica (2). O investimento com a implantação do Pagh-Cirúrgico é de ordem de R$ 9.302.700 para a realização das 5.547 cirurgias. O valor será custeado pelo Fundo Nacional de Saúde do Ministério da Saúde, previstos para a realização de cirurgias eletivas na Programação Anual (PAS).

Compartilhe esta notícia