Notícias

Produção de oleaginosas em Unidade Demonstrativa desperta interesse de agricultores familiares

13/04/2018 - Elmiro de Deus/Governo do Tocantins

A Unidade Demonstrativa das culturas de amendoim, soja, gergelim e macaúba para produção de biodiesel despertou interesse de agricultores familiares depois de uma demonstração realizada na tarde desta quinta-feira, 12. Iniciativa ocorreu durante o dia de campo Culturas Oleaginosas com Potencial para Produção de Biodiesel, no Projeto de Assentamento Bom Jesus, Chácara Nossa Senhora Aparecida, município de Santa Rosa do Tocantins, região sudeste do Estado.

Em três estações, os técnicos explicaram aos produtores e alunos de escolas agrícolas, o passo a passo da produção e as potencialidades econômicas das oleaginosas. As culturas são direcionadas, principalmente para agricultores familiares, ou seja, a produção em pequenas áreas. O cultivo da macaúba, por exemplo, chamou atenção pelas suas vantagens por ser uma cultura perene, consorciando com o amendoim, soja e gergelim e até mesmo o cultivo solteiro.

O professor e engenheiro agrônomo da Unitins Agro, Anderson Barbosa Evaristo, explicou que a macaúba possui um diferencial na produção. “Por ser uma cultura perene pode alternar a produção com as oleaginosas e, proporcionar ao produtor um retorno mais rápido, outra opção é com a criação de gado, pois a macaúba inicia a produção depois do 4º e 5º ano”, disse.

Algodão

A produção do algodão colorido na Unidade Demonstrativa também chamou atenção. O pesquisador da Embrapa, Valdinei Saffiati, explicou a importância da oleaginosa no aproveitamento da pluma e do caroço para o biodiesel. “O algodão colorido é uma cultura diferenciada agregando valor ao produto, o que o torna mais valorizado economicamente”, definiu.

A superintendente da Secretaria de Estado do Desenvolvimento da Agricultura e Pecuária (Seagro), Arlete Mascarenhas, ao fazer abertura do evento, ressaltou a importância do incentivo aos produtores. “É uma atividade que pode gerar renda para muitos agricultores. Para tanto, estamos aqui, mostrando as tecnologias das culturas das oleaginosas para plantar e produzir, por isso é importante a organização dos agricultores para que projeto como esse possa avançar”, argumentou.

Produtores

O produtor e proprietário do local de implantação da unidade, Estevo Klaic Vieira, que acompanhou de perto, disse que o experimento demonstrou o potencial de produção. “Pudemos notar que essa alternativa é viável para gerar renda pra nós agricultores, pudemos pensar em prosseguir com este projeto, o exemplo está aqui que realmente deu certo”, destacou.

Já o produtor José Sebastião de Lima, também morador no assentamento, manifestou interesse no plantio da soja. “Pretendo investir na produção da soja, pois acredito que é uma cultura fácil de produzir e de mercado certo, ainda este ano, quando recomeçar a temporada de chuva vou iniciar o plantio”, disse.

 

Compartilhe esta notícia