Notícias

Sistema Penitenciário adquire espingardas calibre 12 e capacita agentes para manutenção das armas

28/11/2018 - Willian Borges/Governo do Tocantins

O Sistema Penitenciário Prisional do Tocantins (Sispen), órgão vinculado à Secretaria de Estado da Cidadania e Justiça (Seciju), acaba de fazer a aquisição de 100 espingardas calibre 12 e, juntamente com a empresa fabricante, sediada no Rio Grande do Sul, está promovendo um curso sobre manutenção das armas. O treinamento terá duração de três dias, entre 26 e 28 de novembro, para dois agentes tocantinenses e o superintendente do Sistema, Orleanes de Sousa. A previsão de chegada das armas no Tocantins é a primeira quinzena de dezembro.

Conforme informações do Departamento de Controle de Armas e Munições (Decam) do Sispen, as armas são do tipo espingarda calibre 12 Pump Action, cano de 14 polegadas, de uso restrito militar e policial, acessórios exclusivos e com capacidade de cinco cartuchos, mais um na câmara. Segundo o departamento, com essa quantidade de armas, será possível fazer remanejamento e distribuição de espingardas desse calibre para todas as unidades prisionais do Sistema.

O responsável pelo Decam, Felisberto Jorge, disse que a chegada desses equipamentos é uma demanda antiga e de fundamental importância para o Sistema, por isso a concretização da aquisição é uma grande vitória. “A espingarda de calibre 12 é o equipamento mais versátil que temos no Sistema. Ela pode ser usada com munição letal para escoltas e missões de alto risco”, explica. Além disso, ele diz que as armas podem ser usadas dentro das unidades para contenção de motins, municiadas com químicos e também, dependendo da necessidade, com elastômetro. “No uso progressivo da força, ela cumpre todas as demandas, inclusive o seu simples uso de forma ostensiva já impõe respeito e inibe muitos enfrentamentos”, completa.

Para o superintendente do Sispen, Orleanes de Sousa, o curso para manutenção das armas é uma ação essencial para a conservação dos equipamentos e para a segurança dos agentes. “Esse curso é algo essencial, pois essas armas, se bem conservadas, poderão ser utilizadas por décadas. Sua importância é tanta que estamos organizando, junto com a Gerência da Esgepen [Escola Superior de Gestão Penitenciária e Prisional], uma oficina nas próximas semanas para 15 servidores de todas as regiões do Estado, para multiplicar os conhecimentos adquiridos na fábrica”, disse.

Compartilhe esta notícia