Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Tocantins (FAPT)

O presidente da Fundação de Amparo à Pesquisa do estado do Tocantins (FAPT), Márcio Antônio da Silveira,  é engenheiro agrônomo formado pela Universidade Federal de Goiás (UFG), fez mestrado na Universidade Federal de Lavras (UFLA), com ênfase em genética e melhoramento visando resistência a nematoides em batata-doce.  Doutor pela UFLA em fitotecnia/melhoramento genético.  É professor/pesquisador associado I da Universidade Federal do Tocantins (UFT) instituição na qual exerceu as funções de Reitor (2012-2016) e Pró-Reitor de Pesquisa e Pós-Graduação (2003-2012). Docente do Programa de Pós-Graduação (stricto sensu) em agroenergia (PPGA) UFT, atua na linha de pesquisa de Sistemas de produção e melhoramento de culturas visando à produção de biocombustíveis. Coordena as pesquisas do Laboratório de Sistemas de Produção de Energia a partir de Fontes Renováveis (Lasper / UFT).

Atuou como pesquisador durante vinte anos na área de agroenergia, desenvolvendo estudos sobre produção de bioetanol a partir da batata-doce e geração de coprodutos. Sendo responsável pelo lançamento das cultivares de batata-doce industriais destinadas a produção de etanol.  Em 2008 recebeu o Prêmio da Amazônia "Professor Samuel Benchimol", do Ministério do Desenvolvimento, Industria e Comércio Exterior, com a pesquisa “Alternativa de produção de etanol a partir da batata-doce voltadas a realidade dos pequenos e médios agricultores da Região Norte”.